quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Tu, que "roubaste" o meu tempo

Ao homem que me "surripiou" as horas, os minutos e os segundos, afirmo com veemência que não lamento esse Tempo "roubado". Lamento sim, o Tempo que o outro tempo fez com que não chegasses até mim.
Mas agora que o tempo te trouxe do passado, vivo este presente na mira de um futuro, em que nós, quem sabe, seremos ponteiros.
Umas vezes segundos, outras vezes minutos, na certeza de que nas horas nos perderemos. Seremos ponteiros puxando um pelo outro, sempre. E mesmo que um pare, o outro continuará a girar, a girar... 
Pois o nosso Tempo vai para além do tempo contado pelos relógios.  

domingo, 4 de novembro de 2018

Silêncio e Tanta Gente

Homenagem à Maria Guinot e a esta bonita canção-poema. 

Silêncio e Tanta Gente
              (Maria Guinot)

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
Ou um grito
Que nasce em qualquer lugar

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou

Às vezes sou também
O tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou um grito
De um amor por acontecer

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou



domingo, 21 de outubro de 2018

Comment lui dire

(...)
Comment le dire
Comment le dire, mieux avec le sourire ou alors avec les yeux, avec les yeux
(...)
Du fond de mon coeur comment lui dire mon bonheur à l'intérieur.





segunda-feira, 10 de setembro de 2018

A espera

                   ...                 Ela espera                                                             ...
                                                                ...         Tu esperas
                                           ....                                                                         Eu espero

Ela tem a idade do tempo
                                                    Tu tens todo o tempo do mundo

                                                                                                              Eu tenho o tempo contado
Eu espero
Tu esperas
Ela espera
  



terça-feira, 28 de agosto de 2018

Puzzles

Nos intervalos das pausas ou melhor, entre umas leituras e outras, retiro esta passagem pertencente à obra cuja leitura está prestes a chegar aos finalmentes, ao fim de meses de leitura interrupta.

    [... ] Sempre tinham encaixado como peças de um puzzle inacabado (e talvez impossível de acabar) - o fumo dela na solidez dele, a solidão dela na reunião dele, a estranheza dela na simplicidade dele, a despreocupação dela na contenção dele. O silêncio dela no silêncio dele.
    E depois, claro, havia as outras partes - as que não encaixavam.
     
                            In O MISTÉRIO DA FELICIDADE SUPREMA, Arundhati Roy - Ed. ASA

              

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Le premier jour (du reste da vie)

Por cá, teremos a sempre bela canção de Sérgio Godinho -"Primeiro Dia (do resto da tua vida) -, mas o autor/compositor/intérprete e produtor francês, Etienne Daho (com ligação) terá, quem sabe, ouvido o nosso "Primeiro Dia e inspirado para este seu tema. 



 Le Premier Jour (Du Reste De Ta Vie)

Un matin comme tous les autres
Un nouveau pari
Rechercher un peu de magie
Dans cette inertie morose

Clopin clopan sous la pluie
Jouer le rôle de sa vie
Puis un soir le rideau tombe
C'est pareil pour tout l'monde

Rester debout mais à quel prix
Sacrifier son instinct et ses envies
Les plus essentielles

Mais tout peut changer aujourd'hui
Et le premier jour du reste de ta vie
Plus confidentiel

Pourquoi vouloir toujours plus beau
Plus loin plus haut
Et vouloir décrocher la lune
Quand on a les étoiles

Quand les certitudes s'effondrent
En quelques secondes
Sache que du berceau à la tombe
C'est dur pour tout l'monde

Rester debout mais à quel prix
Sacrifier son instinct et ses envies
Les plus confidentielles

Mais tout peut changer aujourd'hui
Et le premier jour du reste de ta vie
C'est providentiel

Debout peu importe le prix
Suivre son instinct et ses envies
Les plus essentielles

Tu peux exploser aujourd'hui
Et le premier jour du reste de ta vie
Non accidentel

Oui tout peut changer aujourd'hui
Et le premier jour du reste de ta vie
Plus confidentiel

Confidentiel

Confidentiel

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Poema ao contrário (Poème à l'envers)

Fico na dúvida se a autoria deste poema é de William Taurus. De qualquer modo, a internet não refere o contrário e seja lá ele de quem for, eu gosto.

Poème à l’envers

À l’ombre, sous les platanes roux,
À Londres, tristement assis sur un banc
J’écourte ces discours douloureux,
J’écoute chaque jour mon cœur las et triste.

« Je pars, c’est fini. Je t’aime. »
Je parvins à saisir ces mots murmurés :
Assis près de toi, l’âme déchirée,
À six heures, l’heure ultime.

Fragments d’un être brisé,
Fragiles phrases aux rimes égarées,
Souvenirs volatiles sans destination,
Soupirs inexprimables d’une passion.

Las, malgré l’automne qui flamboie
Là, un homme, seul, dans un précoce hiver.
Il était une fois
Un poème à l’envers…