Mostrar mensagens com a etiqueta Semana de sensibilização para a coluna vertebral 2010. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Semana de sensibilização para a coluna vertebral 2010. Mostrar todas as mensagens

sábado, 16 de outubro de 2010

Olhou mesmo pelas suas costas? - Considerações finais

Pois é... A maioria da população (incluindo eu) não sabia da existência deste Dia Mundial dedicado  à coluna vertebral que é comemorado, hoje, dia 16 de Outubro.
Ter aproveitado o espaço virtual de um blogue para escrever sobre a coluna vertebral não foi uma paranóia minha, não foi uma obsessão, nem tão pouco se trata de um "fetiche" da minha parte.
Pode parecer estranho... mas a minha explicação é muito simples: comecei a familiarizar-me com a coluna vertebral a partir do momento em que ela afectou negativamente o crescimento de uma pessoa cá de casa (ver RX do post anterior). Desde então (e já lá vão 6/7 anos), "ela" e eu, passámos a ser uma espécie de "amigas" para o bem e para o mal.
Vejamos... estima-se que entre 65% a 80% da população mundial desenvolva uma qualquer dor nas costas, como queixa mais frequente, em alguma fase da sua vida. Sabe-se também que estas dores podem ter as mais variadas origens, contudo, o desgaste das vértebras, dos discos e dos ligamentos da coluna, é um acontecimento natural que faz parte do processo de envelhecimento do ser humano... (O tempo e a idade não perdoam!)
Provavelmente será feito um balanço desta campanha; porém, o caminho a percorrer continua por outros percursos, fora destes Dias Mundiais.
Esta iniciativa "Olhe pelas suas costas ", foi lançada pela Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral em parceria com a Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral, a Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação, a Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia e pela SPOT (Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia)

Talvez faça sentido esta sensibilização, tendo em conta o futuro e o crescente número de pessoas que sofrerão de patologias várias, devido a estilos de vida cada vez mais sedentários e à inexistência de hábitos alimentares saudáveis (celebra-se, hoje também, o Dia Mundial da Alimentação).
Depois de tanta informação, não consegui obter resposta para esta dúvida: que especialista devemos consultar quando surgem (e persistem) as primeiras dores nas costas; um reumatologista, um neurocirurgião ou um ortopedista? 
(Entretanto, chegou uma resposta e parece que é, um ortopedista)

Para terminar esta semana dedicada à coluna, deixo-vos uma entrevista dada em Outubro de 2009 e os esclarecimentos sempre úteis de um conceituado ortopedista, também especialista na coluna vertebral - Dr José Guimarães Consciência.
E já agora... agradecida pela vossa paciência.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A escoliose


                                                         (Março 2009)
A escoliose (com link) é um termo de origem grega e consiste na rotação tridimensional da coluna vertebral com curvatura para um dos lados.
Uma escoliose pode ter diversas origens, contudo, a mais comum, é a escoliose idiopática que se desenvolve normalmente, entre os 10 e os 12 anos de idade com uma maior incidência no sexo feminino.
Idiopática porque, aparentemente, é uma deformidade da coluna que surge sem causa conhecida.
Embora os estudos nesta matéria pareçam inconclusivos, há fortes indícios de que um factor genético, possa estar na origem do desenvolvimento das escolioses idiopáticas em crianças saudáveis.
E por falar em crianças... existe uma tendência para se associar, erradamente, uma relação de causa/efeito entre o peso das mochilas transportadas pelas crianças em idade escolar e uma possível deformação (ou qualquer outra lesão grave), ao nível da sua coluna.
Neste artigo (com link), divulgado em alguns meios de comunicação social escrita, numa altura em que iniciava mais um ano escolar, um conceituado médico especialista (link com vídeo) em ortopedia infantil do Hospital Pediátrico de Coimbra, esclareceu o necessário sobre esta problemática.

Mais informações sobre escoliose:

    quinta-feira, 14 de outubro de 2010

    Sabiam que os dinossauros sofriam também de dores de costas?

    Este é mais um achado virtual interessante. Os cientistas necessitam de ter a sua mente ocupada e, os estudos realizados aos vestígios ósseos que os dinossauros deixaram por cá, há milhões de anos, servem agora para concluir que, estes bichos que "todos nós" admiramos pela sua robustez e porte, afinal, eram uns "infelizes" e "desgraçados" seres vivos que, sofriam tal como nós, com dores nas costas. Quem diria?!...



    "bicos de papagaio", hérnias discais e outras coisas que tais

    Quanto aos "bicos de papagaio", consta que são saliências ósseas formadas em torno dos discos da coluna vertebral. Existe, no entanto, uma outra designação para estes "bicos de papagaio" (eu, pessoalmente, acho este nome feio para designar uma patologia mas... os especialistas na matéria, lá viram umas semelhanças entre as ditas formações ósseas e os bicos destas aves raras... portanto,  quem sou eu para contestar?!), osteófitos. Este sim; um nome bem mais sonante e bonito para um problema de saúde que atinge essencialmente, as pessoas com mais idade.
    Para saber mais sobre este assunto, encontrarão informação aqui e aqui 

    Sobre as hérnias discais, poderão sempre ver e ouvir esta peça do programa "Praça da Alegria" da RTP1 que há dias, se debruçou também sobre esta iniciativa, "Olhe pelas suas costas".
    Esta emissão contou com a presença do coordenador nacional desta campanha que é, simultaneamente médico neurocirurgião, Dr Paulo Pereira. Para além dos seus esclarecimentos sobre esta patologia da coluna,  o programa contou ainda, com o testemunho de um doente operado à hérnia discal, testemunho este, que veio reforçar a ideia de que as dores nas costas são mesmo, para serem levadas a sério.

           

    quarta-feira, 13 de outubro de 2010

    "Falar nas costas dos outros" e outras ironias vertebrais

    O povo lá terá a sua razão quando decide tornar frases como esta, em verdadeiras máximas.
    "Falar nas costas dos outros", pode ter algum sentido pejorativo porque, a esta expressão, se associa muitas vezes, a ideia de que duas pessoas estão a falar de uma terceira, eventualmente, "coisas" menos agradáveis.
    E nós sabemos bem que falar (sobretudo mal) dos outros é coisa feia, ainda por cima, nas suas costas.
    Portanto; o melhor a fazer nestas situações é, dizermos directamente, cara a cara e sem rodeios o que tem de ser dito porque, mesmo tendo  "as costas largas" nem sempre aguentamos tudo.


    Encontrei também, por mero acaso, este artigo que me mereceu a maior "consideração". Não pelo Pedro Santana Lopes, como é óbvio, mas pelo facto do autor do texto usar a coluna vertebral do dito, para criticar ironizando, as suas (e também as de outros) posições políticas.
    Querem saber onde foi parar a coluna vertebral do Santana Lopes? Leiam! Vale a pena.



    NOTA) Fiquei admirada com as visitas durante estes dois dias. Imaginei que, vir para aqui escrever sobre a coluna vertebral ao longo de uma semana, espantaria qualquer um deste blogue mas... parece-me que isso não aconteceu.
    Só posso agradecer a quem tornou possível uma eventual divulgação deste espaço e agradecer também, aos meus caríssimos e habituais leitores/seguidores.

    terça-feira, 12 de outubro de 2010

    O que dizem os manuais escolares sobre a coluna vertebral


    O estudo do corpo e concretamente, o estudo do esqueleto humano, insere-se num conteúdo programático denominado "À descoberta de si mesmo" que por sua vez, faz parte da área curricular do Estudo do Meio (noutros TEMPOS designado por Meio Físico e Social).
    Chegados ao 4º ano de escolaridade, os alunos devem identificar e localizar as partes principais do corpo humano (cabeça, tronco e membros) e o nome dos ossos que as compõem. Devem igualmente, reconhecer as funções e a importância do esqueleto humano, assim como, alguns cuidados a ter com ele.
    Há manuais (uma minoria) que passa ao lado deste tema. No entanto, a maioria aborda-o e fá-lo de formas diferentes; uns são mais superficiais, outros vão ao pormenor das costelas flutuantes. As crianças, por aproximação sonora, preferem dar-lhe outro nome: costeletas.
    Ficam alguns exemplos da abordagem da coluna vertebral em alguns manuais escolares.
    (clicar para aumentar)




    E provavelmente, o mais completo de todos...

    segunda-feira, 11 de outubro de 2010

    Portugal assinala a semana de sensibilização para a coluna vertebral

    (foto Google) ...porque a nossa coluna é preciosa

    Começa hoje e até ao próximo dia 16 de Outubro, a semana dedicada à coluna vertebral.
    Uma iniciativa inserida no âmbito de uma campanha nacional  "olhe pelas suas costas" (título com link) que visa alertar e sensibilizar a população para os problemas de saúde, causados por esta importante estrutura óssea, nem sempre tratada com o devido cuidado por todos nós.
    Desta forma e à semelhança do que aconteceu, aqui, com outro assunto há uns meses atrás (o 25 de Abril de 2010), as mensagens inseridas neste espaço, ao longo desta semana, estarão de alguma forma relacionadas com este tema.
    Chamo a atenção para a eventualidade de alguns artigos, não estarem actualizados no TEMPO, contudo, a informação neles contidos, continuarão válidos e actuais (penso eu). É o caso deste, com a data de 2009:

    http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=35955&op=all