Mostrar mensagens com a etiqueta Pensamentos meus. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Pensamentos meus. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Intrigante distância

«A distância é intrigante. 
Há quem fique distante ao nosso lado, e quem continue ao nosso lado mesmo distante»
                  (autor desconhecido)

E com este pensamento me despeço.
Bom fim-de-semana.

 (versão lounge de " Le coeur grenadine" - Laurent Voulzy)

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Da informática ao pensamento

Eu, usuária me confesso. Fiz o download de um "filme" invulgar: o filme da vida.
Por estranho que pareça, acabei por me dar conta de que, entre esta maquineta chamada computador e a máquina humana chamada Homem, existem analogias.
Nota) A ordem real dos procedimentos informáticos pode não ser a que se segue.

Comecei, eliminando o histórico. Actualizei ficheiros... Procedi ao scandisc. Quantos arquivos infectados!!!! E eu sem saber. Culpabilizei-me. Afinal, tinha o Firewall Pessoal desactualizado.
Vírus, warms, trojans... Toda a espécie de malware estava alojada no meu "PC" sob a forma de algo, que eu não consigo precisar no tempo e que por razões várias não posso revelar aqui. Eliminei-os um a um antes que causassem danos maiores.
Por momentos, fiquei perdida e consultei um mapa de bits, todos os periféricos e conexões.
Felizmente, fotos e alguns documentos permaneceram, graças a um bem sucedido backup.

Acabei acedendo às drives e ao windows... O caminho estava livre, rumo a um cleanup total. Guardar em pastas apenas o essencial e formatar o disco rígido, era agora imprescindível.
Resolvi então, fazer um upgrade, reinstalar tudo. Percebi quanto é importante a linguagem HTML entre computadores e entre users... Sem essa linguagem, a comunicação ficaria estranha, por vezes imperceptível.
Solicitei protocolos vários, mas foi através do POP3 que me iniciei na correspondência, via e-mail.
Os hackers poderão até invadir o sistema mas, Antispywares, Antivírus e outras protecções nunca estiveram tão activos como agora.
Sobre os e-mails que a vida vai enviando, passei a abrir apenas os que eu quero, de quem eu quero e quando eu quero. O mesmo se aplica às respostas. Tudo o resto é spam ou mero software inútil!
No fundo, tudo poderia resumir-se a um simples Delete com reencaminhamento quase certo para o caixote do lixo e sem qualquer hipótese de reciclagem!

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Ecos do dia 1 do 1 de 2013

Consegui pela primeira vez (vá lá... mentira... segunda talvez) abrir uma garrafa de vinho sem estragar a rolha. Tirando este feito, o que para mim é extraordinário, outros feitos fizeram o dia ou as primeiras horas do novo ano.

A registar:
O primeiro bebé do ano (uma menina) nasceu no Porto não sei quantos segundos após a meia-noite (nunca percebi bem a lógica destas notícias repetidamente em cada ano que passa), mas o que me deixou mesmo "preocupada" foi o facto de não terem ocorrido nascimentos nas últimas horas de 2012 na Maternidade Alfredo da Costa (fonte - www.jn.pt). 

Paulo Macedo, o "nosso" "simpatiquíssimo" Ministro da Saúde está (finalmente!??!) "preocupado" com a saúde dos portugueses, mas só de alguns! Pôr a malta fumadora a pão e água no que respeita ao vício, é uma das suas boas intenções. 
E falando em vícios... nem todos recebem tratamento igual do Estado. Ora vejamos. 
Soube-se ontem que o mesmo Estado, que até quer reduzir o consumo do tabaco nos portugueseses, abriu os cordões à bolsa para ajudar os viciados do dinheiro; os da banca.
E não foi com uma simples injeção não senhor! Uma injeção de capital no valor de 700 milhões para recapitalizar mais um banco (Banif, neste caso) é muito mais do que uma injeção de cavalo! Se é!
Sabemos como é o poder político e este vício maldito de injectar milhões nos cofres dos banqueiros. Mas isto tem que acabar!!!!
E a revolta é tanto maior quando sabemos que injeções deste calibre se fazem à custa do dinheiro que subtraem dos ordenados e das pensões de milhares de portugueses. Sem esquecer ainda, que o dinheiro que segue para os cofres destes senhores (para fazerem não se sabe muito bem o quê com o capital injectado), poderia servir para outros fins, socialmente mais dignos e humanos. 

Bem... nada como ir para o campo da ciência com notícias mais simpáticas. 
Termino, abordando a descoberta das últimas horas. 
O cérebro das libelinhas tem características parecidas aos dos humano!!!! Quem diria?!... Não sendo grandes, as libelinhas têm cérebros complexos; o que comprova a minha teoria (uma vez mais) de que o tamanho é sempre algo muito relativo (a notícia encontra-se aqui).Smiley

Siga a música para animar o começo de 2013 com Gabin, banda italiana de Acid Jazz.


segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Fui ver o mar numa tarde de Inverno

Retomando os "Balanços" da mensagem anterior, um desejo cumpriu-se: ver o mar  pela última vez este ano. E se ele estava bravo!
S.Pedro de Moel e Praia das Paredes (praias do concelho da Marinha Grande e Alcobaça respectivamente) num fim de tarde, no dia 30 de Dezembro de 2012.

Um gato! A eterna atração... Logo debaixo do meu carro!


E o sol, tímido, foi-se aconchegando por entre as nuvens, até desaparecer. 
Do alto da falésia, o vento e o frio como que a sugerirem um recolher obrigatório. 


domingo, 30 de dezembro de 2012

Balanços...

Excluindo os balanços económicos...
Balanços (pessoais) são os prós e os contra ocorridos durante um determinado período de Tempo.
Em 2012 aconteceu-me isto e aquilo. Apeteceu-me desistir disto e daquilo. Fiquei indecisa... Senti remorsos por esta ou aquela situação. Houve momentos de alegria. Houve momentos de tristeza.
Não consumei actos simples e gratuitos, como ver o mar num dia de Outono ou Inverno.
Tive dias de aperto, com saudades de pessoas (algumas). Umas vezes matando as saudades com a ajuda do telefone ou do telemóvel. Outras vezes nem por isso.
Adiei sucessivamente reencontros com pessoas amigas com a desculpa da falta de Tempo (a maior parte foi mesmo por falta de tempo). Algumas eu vi a correr; outras há, que eu gostaria de ver mais e com mais tempo...
Mandei igualmente pessoas e coisas para lugares impróprios, e isso foi bom (ajudou a aliviar o stress). 
Umas vezes falei de menos, umas vezes felei de mais. Outros vezes foi o silêncio de ouro que imperou.
Nem sempre escrevi (aqui ou além) o que queria. Nem sempre escrevi o que sentia. Muitas vezes senti que não escreveria nada com jeito e por isso não escrevi.  
Fará isto tudo parte da "Human Nature"? Se calhar...
Se não nos virmos amanhã por aqui, ver-nos-emos em 2013.

 
 

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Hoje foi o fim do m... meu tinteiro preto

21/12/2012 às 12h21

Fiquei uns minutos sentada, à espera para assistir ao anunciado fim do mundo, e nada! A oportunidade de nos vermos livres uns dos outros, afinal, não aconteceu. Que fiasco! Que desilusão! Vão ter de me aturar mais um tempito. Lamento.
Acabei por concluir que fim mesmo, só o do Outono e o do tinteiro preto da minha impressora que acabou há poucos minutos, em virtude da sobrecarga de trabalho destes últimos dias.
Um fim tão certeiro quanto a minha profecia; final do 1º período escolar e montes de coisas para imprimir. Era mesmo previsível que acabasse o raio da tinta.
Afinal eu é que estava certa: algo acabou hoje, e antes o tinteiro do que a vida humana de uma pessoa conhecida, por exemplo.
Com o fim do tinteiro da minha impressora e este anedótico fim do mundo posso eu bem. Já outros fins... preocupam-me bem mais. Esses, eu sei e vocês sabem... podem deixar marcas do caraças!

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Adiem o fim do mundo por favor!

E se de repente o seu espírito de Natal deixar de o ser para se tornar num espírito "apocalíptico", isso deve-se ao fim do mundo que, segundo rezam as profecias, está para acontecer no próximo dia 21/12. Esta reportagem mostra que já está em marcha a fuga de muitas pessoas em direcção à locadidade francesa de Bugarach, nos Pirinéus. 
Não se sabe bem por que razão, mas consta que este "fim do mundo" perdido nas montanhas é o lugar mais seguro para os crentes em profecias se protegerem do outro temível fim do mundo. Penso não me enganar muito se disser que este êxodo para locais desconhecidos é uma óptima campanha de marketing para promover o turismo lá do sítio. Nos tempos que correm é de aproveitar!
Como dizia a minha tia-avô "Relógio", pessoa temente a Deus e com um coração do tamanho do universo, "o mundo só acaba para quem morre". Eu acreditava nas suas palavras e acredito ainda hoje que seja assim. Se eu morrer amanhã (que o diabo seja cego, surdo e mudo!) o mundo acaba para mim, mas continuará para outros.
De qualquer modo, perante a crise social e económica com que muitos países desenvolvidos (ou não) se defrontam, acredito sim, que um fim do mundo agora, vinha mesmo a calhar. 
Com um "The End" para todos, ninguém se ficava a rir de ninguém. Seguramente não ficaria cá vivalma para contar a história; aliás, o fim da história do mundo! Não posso garantir que esteja certa, pois nunca presenciei nenhum e como sou um pouco incrédula nesta matéria, resta-me vir para aqui fazer deduções parvas.
Estou cheia de preocupações, cheia de trabalho, farta da porcaria que os governantes deste país têm feito ao longo de tantos anos. Mas por favor! Peço a quem de direito que esperem mais uns dias para o anunciado fim do mundo... É que no dia 21... o fim do mundo, já?!??!... Não me dá jeito nenhum!!!!
É que... ainda tenho coisas para fazer... coisas para escrever... pessoas de quem eu gosto que preciso de ver pela última vez... sorrisos para ver, dar e receber... ou seja, preciso de me despedir deste mundo!
Dá para adiar o fim do mundo do dia 21 para outro dia, outra semana ou outro mês? 
Fico à espera que alguém me responda.

Smiley 

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

1.451.965.931 segundos de vida. É muito tempo!

Fazendo jus ao nome deste espaço, quanto Tempo tem o tempo do "Relogio de Corda", hoje?

Resposta: 552 meses, 2.400 semanas, 16.802 dias, 403.248 horas, 24.194.932 minutos e 1.451.965.931 segundos de idade.

Ah! E sabem que mais?! Não perdi tempo a fazer estes cálculos. Está tudo aqui para quem tiver curiosidade em esmiúçar o seu tempo de vida.

                                                         (desenho by Té - 1997)

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

A real non sense post

This is a real non sense post.
"Relogio de Corda"?!... Are you being crazy? - perguntarão alguns. No no... Not yet!
Se as estatísticas desta "coisa" forem minimamente confiáveis, este blogue (e vá lá saber-se porquê!...) é lido também nos Estados Unidos, no entanto, não é por essa razão que hoje me apeteceu recorrer ao inglês.
A língua portuguesa, you know, é e será sempre a minha predilecta mas um "Relógio" tem direito a uns momentos desconsertantes, quanto mais não seja por uns minutos, horas ou... o tempo necessário até ficar tudo consertado de novo.
So... Let's go! Smiley

A vida tem situações incompreensíveis, estranhas até! Por que não brincarmos (no bom sentido) com isso?!
This is a non sense post para alguém com muito senso. Obviamente que nunca se saberá quem é porque ... eu "non say"!  
 
Se gosta de loiras ou de "revival french music", então... ouvir Sylvie Vartan em "Je Suis Comme Ça", pode ser um saudoso regresso ao passado (é favor não esquecer de comprar o bilhete de volta!!! Obg).

 

Mas se optar por um estilo do tipo musicais londrinos... John Barrowman em "I Am What I Am" pode ser uma alternativa mais actual.

Ou enveredando pelos caminhos da "soul music", eis um instrumental com um título muito interessante, "You Are The Way You Are" por Marvin Gaye.


Smiley

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Monte Branco: a receita

Vem aí mais uma (um) "casonovela" para entreter os apreciadores destes folhetins que têm sempre um "je ne sais quoi" de política à mistura com o grande capital.
A operação "Monte Branco" tem os ingredientes do costume: aldrabice q.b., muita lata, alguma pitada de falsa ingenuidade (eles nunca sabem nada, nunca temem nada, nunca tiveram nada a ver com nada...). Não vai ao forno! E muito menos ao frio, apesar de remeter para uma célebre montanha com o mesmo nome.
Presume-se que este "Monte Branco" vá a julgamento durante uns bons anos (se for), sendo servido posteriormente consoante a sentença do momento.
A receita culinária que se segue chama-se também "Monte branco" e parece-me mais saborosa do que a anterior; pelo menos mais digerível. Leva o fruto desta época: a castanha e para não deixar crescer água na boca de ninguém, fica a receita aqui.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Expressões...


Nem sempre precisamos de ver nos olhos dos outros quanta felicidade ou tristeza eles irradiam. Vemos sentindo ou sentimos sem ver?...  Acho que ambos servem.
Fica por conta do imaginário de cada um, a expressão facial desta mulher.
O quadro é da autoria de Lúcia Maia, uma artista plástica portuguesa (mais informação aqui).
Votos de um bom fim-de-semana.


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

A tecla da letra A

Um pano humedecido. Algumas gotas de detergente e limpei-o com mil cuidados, porque era branca a sua cor, a cor do meu teclado. 
Branco... "Que raio de ideia ter comprado um teclado branco!" - pensei - "se fosse hoje não escolhia esta cor".
Todas as teclas, todas as letras se submeteram à suave passagem do pano humedecido... sem sobressaltos e só então reparei na letra A, mais sumida do que as outras. 
A letra A... engraçado... Uma das letras mais importantes do alfabeto corresponde à tecla mais gasta pelo uso e pelo tempo. Que desapareça para sempre, mas aquela tecla nunca deixará de lhe pertencer!
O que seria do amigo, da amizade, do amor ou do amado? Do apaixonado, do abraço e do afago? Do abrigo, do aceno, do aconchego, do acento, do adiar, do avançar? Do ajudar, do admirar, do adorar, do adocicar e até do adoecer? Do adormecer ou do acordar, do ar, da água?...  

Bom fim-de-semana ao som da boa música de Cabo Verde.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O Homo cuniculis. Sabeis quem é?

Descobri que o boasnotícias.pt é uma lufada de ar fresco no que se refere a notícias, que são geralmente más e deprimentes noutros sites.
A descoberta vem do Quénia e refere agora, dois milhões de anos depois, que o Homo erectus não viveu sozinho, e ainda bem!
Sem centros comercias, cinema, música, satélites, consolas de jogos, internet, livros e sem a capacidade de comunicação verbal ainda desenvolvida, como poderia o Homo erectus, ou outro qualquer, sozinho, aguentar tal pasmaceira de vida?! 
Análises e estudos efectuados aos ossos fossilizados de um crânio ajudaram a montar o puzzle há muito por completar. As conclusões parecem dar como certa, a presença de mais duas espécies de Homos no planeta: o Homo habilis e o Homo rudolfensis
Creio que estamos agora mais perspicazes e informados. Não serão precisos dois milhões de anos para concluirmos relativamente à existência de outras espécies de Homos...
Refiro-me em concreto ao Homo oryctopassus cuniculis - clicar para ver foto (oryctolagus cuniculus é o termo científico correcto) e o Homo latronis troikis (ver foto).
E escrever mais para quê?!

                                             (foto retirada do google)

Votos de um bom fim-de-semana.




segunda-feira, 18 de junho de 2012

18 de Junho de 2012

Há 14 anos ela desenhava assim...


Fadas, fadinhas, muitas cores, um sol despenteado, borboletas no ar, uma amostra de arco-íris, casinhas sem chaminé com fumo preto saindo sob a forma de um tracejado ondulante... Imaginação foi coisa que nunca lhe faltou!
Que o tempo e o Além se dignem conservar as duas: a imaginação e sobretudo, a autora de tão singelo desenho.

Smiley
Tal mãe tal filha. Há gostos transmissíveis, sabe-se lá porquê.
The Beatles - "You're Gonna Lose That Girl" (I hope not)

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Os queixinhas e os queixosos

Há os queixinhas da escola, geralmente meninos que desatam a correr em direcção ao adulto sempre que fulano ou beltrano faz ou diz algo. Normalmente são palavras ou gestos desagradáveis que ninguém gosta de ouvir, sobretudo uma criança. Nesta categoria, existem os queixinhas agudos e os queixinhas crónicos; uns e outros são meninos chatos! Felizmente o tempo encarrega-se de curar o queixume de muitos.
Depois, há os queixosos da vida, que são geralmente pessoas crescidas que desatam a correr em direcção a elas próprias. Às vezes, correm na direcção de outras pessoas crescidas, queixando-se de tudo e mais alguma. Os queixosos, às vezes, também são pessoas chatas!
Os queixosos apresentam igualmente inúmeras queixas contra o tempo; melhor dizendo, contra a falta dele. Quem passa grande parte da sua vida a queixar-se do tempo que não tem, geralmente não faz o que gostaria, acabando por se sentir triste ou frustrado.
Aos queixosos que são no fundo, os queixinhas numa versão adulta, fica este recado: "pára de te queixar e faz alguma coisa" (este slogan não é da minha autoria mas está na moda e eu aproveito-o).
Hoje escrevi isto, não sei bem porquê...

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Sem inspiração...............................................................

Escrever apagar, rir chorar, descansar trabalhar. O tempo não se cansa de andar e eu sem o conseguir acompanhar. Dá uma passada, a seguir outra e não espera por mim. Assim não está bem!
Vou apresentar queixa contra o tempo. Não sei onde, não sei a quem...

(Os Bee Gees em 1970, antes de se apresentarem com aquelas vozes descaradamente esganiçadas que eu conheci anos mais tarde. Maurice Gibb já partiu, Robin (gémeo com Maurice) partiu hoje e Barry... logo se vê)
 
 

sábado, 14 de abril de 2012

Uma história terrivelmente felina

Escrevinhei esta pequena história na sexta-feira da semana passada.
Hoje, ou melhor, nestes últimos dias não teria seguramente qualquer inspiração para escrever um texto destes, mas já que está escrito e devidamente ilustrado, segue em frente. Dedico-o a uma pessoa muito especial ...
(Por motivos pessoais, este blogue encontrar-se-á inoperante por tempo indeterminado)

Uma história em forma de gato

1-2-3
Era uma vez...
Sem raça definida, gente que quis ser gato
De Torcato
Para Maltês
Assim aconteceu uma vez

Dizia o gato Maltês:
Vou dormir o ano inteiro
Só acordar em Janeiro!

Comida boa, eu vou querer
Dispenso sobras, restos e outros disparates
Que eu agora só como Kitkat's

A minha dona passou-se dos carretos...
(Ou será do carreto?)
Não é que agora
Só faz compras num tal Gato Preto?!

Não quero mais pires, tigelas ou pratos
De hoje em diante exijo
chávenas finas com motivos "abstractos"

Sabe a senhora onde o gato das botas 
Compra o calçado?
- Sei sim!
Vou já a correr ao Chiado
Comprar umas para mim

No Verão viajo até Gatorrelix
Visitar os meus primos
Simon, Garfield e Felix

Agora que a história está a acabar
Tentem lá adivinhar
Qual é o meu programa preferido?
Os Gato Fedorento, é certo e sabido.


Depois deste aparato
Talvez opte pelo celibato
Esqueça de vez 
Perseguições a gatas e ratos
E mude definitivamente
para a Rua dos Gatos

 (fica na Baixa de Coimbra)

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Dia 1 de Abril sem águas mil

Houve um prenúncio de mau tempo, ontem dia 1 de Abril. Foi tudo mentira.
Trovejou. Tudo indicava que ia cair muita água, mas não. A chuva que caiu, foi "sol de pouca dura".
Pus-me à janela. Assisti à mudança da cor do céu mas o melhor mesmo, foi sentir o cheiro das laranjeiras em flor.


E ao cheiro, juntou-se o frenesim sonoro do abelhame que saltitava de flor em flor.


Nisto passa uma rola atordoada. Sigo-a de outra janela...
Poisa, claro está, em cima do poste telefónico à espera do tempo que há-de vir. Já é habitual.


No horizonte, o céu continua carregado de nuvens cinzentas e um moinho solitário no alto do monte, de "braços abertos". O monte é conhecido por "Cabeça" e diz-se que no Verão, em dias limpídos se avista o reflexo do mar...

segunda-feira, 26 de março de 2012

"Cloudbusting" e a máquina de fazer chuva

Já não bastava o famigerado cenário sócio-económico, mais a ditadura imposta pelos denominados mercados financeiros, mais o facto de nos tornarmos - ou quererem à força bruta que nos tornemos - em meros figurantes deste "filme"; eis que o tempo meteorológico resolve brincar com coisas sérias. 
O que já era complicado começa a ser desolador, principalmente para quem espera da terra, as batatas ou outro alimento.
A ausência de água também pode ser fonte de inspiração, infelizmente. 

«Once upon a time, a big and a grey cloud fell in love with a little flower...» ou quem sabe, o contrário...

Nem a propósito, lembrei-me deste "Cloudbusting" dos anos 80 e da máquina de fazer chuva que este vídeo mostra. Dava jeito agora!

segunda-feira, 19 de março de 2012

A "Song For My Father" - Horace Silver

De volta "à antena",  excepcionalmente pelo dia que é.
Para o meu, que já não está entre nós, para todos os pais deste mundo e do outro... Um feliz dia do PAI.