segunda-feira, 17 de abril de 2017

Talvez... o fim.


E falando em caminhar.
O caminho chega, pelo menos por agora, ao fim. 
Muitos, senão a maioria, vieram a este lugar virtual "picar o ponto" ao engano. Mas isso que importa?!... 
Agradeço os meus amigos, colegas, seguidores e desconhecidos que fizeram parte das estatísticas de visualizões, e que ao longo destes quase oito anos tiveram o engenho e a arte da sensibilidade para perceber que até a vida de um velho e antiquado Relógio de Corda parado, também pode ter movimento.
Foi bom ter libertado a alma e o stress da rotina dos dias, escrevinhando. 
Foi bom ter divulgado e partilhado aqui, os mais variados géneros literários. 
Foi bom ter transformado alguns esporádicos leitores em amigos e conhecidos. 
Foi bom ter tido este "passatempo" como companhia.
Mas o caminho prossegue. Outras paragens são necessárias para voltar de novo a caminhar.
Continuarei a marcar presença como leitora, acompanhando e lendo os meus parceiros blogosféricos de toujours.
Dizer até sempre lembra despedida sem regresso (e como sabeis, detesto despedidas sejam elas, com ou sem regresso), por isso fico-me pelo "até um dia destes".


1 comentário:

  1. Minha querida, como na vida, a estrada tem curvas e contracurvas, mas não deixa de ser caminho. Gostaria de que o teu caminho tenha flores. Concordo com as razões que apontas como positivas para o " virtual ".Quero continuar a ter-te como uma Flor, também minha, mas principalmente que tenhas momentos bem felizes. Eu estarei aqui para ti, Tété e Xav. Beijinhos com ternura. <3

    ResponderEliminar