segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Dr Fastluv

Foi de um conceito empreendedor que nasceu a máquina que promete revolucionar os hábitos e os costumes de homens e mulheres em todo o mundo.
Dr Peaceluv era um desconhecido até ao momento em que os seus estudos começaram a ser conhecidos e contestados por vários associações profissionais e, cidadãos em geral.
De facto, este estudioso do comportamento humano tem vindo a dedicar-se nas últimas duas décadas à problemática amorosa/sentimental dos seres humanos, não esquecendo os gatos, os cães, os ratos e outros bichinhos.
Após ter dedicado cinco anos a um exaustivo trabalho de "laboratório", Dr Peaceluv conseguiu finalmente comercializar a sua inovadora máquina Fast Emotions que, tal como o nome indica, e à semelhança das suas congéneres - máquinas de fast food ou de tabaco - permitirá satisfazer a curto, médio e longo prazo, as necessidades básicas do ser humano, no que toca às questões de índole afectiva, emocional, e até sexual.
Vocacionada para os info excluídos que não podem suportar uma ligação à internet, Peaceluv explicou numa entrevista, ao jornal GreaTbosTlie, que o funcionamento da sua máquina indutora de emoções e afectos, se baseia no mesmo princípio das distribuidoras de outros produtos de consumo imediato. A diferença é que a Fast Emotions está ligada a uma plataforma digital que é actualizada diariamente por técnicos com formação em human relations
Na Fast Emotions não faltam feitios, personalidades, beldades, sexo e outros atributos para os mais variados gostos. A vantagem da utilização desta máquina é que ninguém assume qualquer compromisso com nada nem ninguém, podendo usar e deitar fora quando e como lhe aprouver; como aliás já vinha acontecendo de há umas largas décadas para cá desde que os sites de encontros e redes sociais tomaram de assalto as casas e os lares do mundo "civilizado".   

As perguntas, porém, continuam no seio dos contestatários desta invenção.
Como funciona, realmente? Como pode uma máquina satisfazer e substituir necessidades tão básicas e humanas?
Estamos na véspera do Dia dos Namorados do ano de 2087. Talvez não falte muito para que cada um se questione sobre o que é isso do amor ou o que é isso de namorar e de namorados.

2 comentários:

  1. Se é só em 2087 já não estou preocupada. Beijinhos minha querida <3 <3

    ResponderEliminar