quinta-feira, 1 de setembro de 2016

"Incontinência emocial"

O coração queria amar sem restrições e sem receios. Não conseguia. Era uma impotência tal, que quanto mais pensava que queria, menos força sentia para vencer aquela espécie de maldição.
Um dia encheu-se de coragem e procurou ajuda profissional.
- O senhor sofre de "retenção emocional".
Durante semanas a fio esmiuçaram ideias, pensamentos; vasculharam nas memórias e o problema pareceu ultrapassado ao fim de largos meses, em consultas quinzenais.
Corria tudo bem até ao dia em que conheceu alguém. Coração e razão estavam em sintonia. Fizeram juras de amor. Fizeram projetos. O futuro avizinhava-se risonho. Tudo parecia perfeito.
O tempo foi passando. O homem descobriu então, que a sua amada sofria de "incontinência emocional", que pingava emoções e afectos em demasia para com, ou quase todos os homens.
Esta curta história de amor termina aqui.
Cada um seguiu a sua vida.
Cada um com a sua "maleita".



Sem comentários:

Enviar um comentário