quarta-feira, 26 de agosto de 2015

"Fazemos do silêncio aquilo que somos"

E depois do silencioso post de ontem, de novo o silêncio.
Continuo no meu silenciosinho. Talvez mais uma viagem pelo interior de mim mesma.
E tudo é mistério.
Saber se chego, ou não, a algum lugar quando viajo pelo interior de mim mesma. Saber se valeu, se vale ou se valerá a pena continuar a viagem. Enfim...! Mistério dos mistérios, mesmo!
Mas hei-de voltar; nem que seja ao ponto de partida.
Antes de prosseguir a caminhada, passo à transcrição desta frase retirada do livro, "Elogio do Silêncio", de Marc de Smedt: "estou a usar uma coisa que me parece bastante rara, que é o silêncio como agente de expressão, e que é talvez a única maneira de fazer valer as frases" (Débussy).