domingo, 29 de dezembro de 2013

Para 2014, "Muda de Vida"

Época de balanços.
Consensualmente, todos desejamos o melhor para as novas vidas pessoais e profissionais. Esperamos sempre que algo mude na vida, na sociedade ou no mundo para melhor.
Assim sendo, que nunca nos falte a tal saúde, a tal paz, o tal amor, o tal trabalho e o tal e tal de muito mais.
Por vezes, tal como na canção, é preciso mudar de vida e lutar para ter de volta aquilo a que temos direito.
Votos de boas entradas.
Que 2014 traga novamente a esperança, tão desacreditada nos últimos Tempos. 
Até para o ano!


Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar

(...)
Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens...que ser assim?...


Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver
Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver

...

sábado, 28 de dezembro de 2013

Outra vez as despedidas...



Um livrinho delicioso com sabor e cheiro a África, que eu estou a acabar de ler.
Sobre despedidas... Não podia estar mais de acordo com Ondjaki.

     «Eu acho que nunca cheguei a dizer a ninguém, talvez só mesmo à Romina, mas na minha cabeça eu sempre escondia este pensamento: as despedidas têm cheiro. E não é cheiro bom tipo chá-de-caxinde, ou as plantas a darem ares duma primeira aspiração na frescura da manhã, entre os silêncios e cacimbos molhados. Não. Despedida tem cheiro de amizade cinzenta. Nem sei bem o que isso é, nem quero saber. Não gosto mesmo de despedidas.» 
                                                                               Da estória Um pingo de chuva (página 119)

                                        ONDJAKI, OS DA MINHA RUA - estórias, Ed. LeYa Caminho
                                       

domingo, 22 de dezembro de 2013

"Menino Jesus" de Fernando Pessoa

                                                       (desenho toscamente feito a lápis de carvão por RC)
Não existem palavras perante a beleza deste "Menino Jesus", escrito pelo nosso Fernando Pessoa e tão deliciosamente declamado por Maria Bethânia. E se não existem palavras, sejamos breves!
De alma e coraç
ão - porque só assim os votos do que quer que seja
fazem sentido - desejo a todos os leitores, simpatizantes ou olheiros deste espaço; crentes, não crentes, colegas, amigos, inimigos, familiares e a todos os Meninos Jesus  por esse país fora, um  Feliz Natal.   


domingo, 15 de dezembro de 2013

"Here's to you" para recordar - Joan Baez

Here's to you  Nicola est mort, data de 1971. 
Joan Baez canta mas apesar da letra triste desta balada, gostei de ouvir de novo uma recordação sonora da minha infância.
Boa semana.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Pontos

E que tal, um fraseário sempre à mão para registo post scholé de palavras, expressões e frases engraçadas que saem, de vez em quando, da boca dos petizes?
Apresento-vos o ponto de exclamação que virou, num abrir e fechar de boca, «ponto de espanto»!!! 
O nome até lhe fica bem...


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O aniversário, o simbolismo da data e "O Tempo só falta no fim"

O aniversário...
Estávamos a 9 de Dezembro de 2009 quando esta aventura/blogue ou como diria alguém, e muito bem, este «passatempo», foi para o ar.
Faz portanto, no dia de hoje, precisamente quatro anos que este "Relógio" estranhíssimo - porque humano - deu início às andanças do Tempo, sem tempo para saber quanto tempo tem, afinal, o Tempo.

O simbolismo da data...
Se eu contar o tempo desde 9/12/1978 até agora, passaram-se 35 anos... e 35 anos é muito tempo!
Eu tinha 12... Mas daria tudo agora, para ver o rosto do irmão que perdi.
Maldita velocidade! Maldita sorte! Ninguém devia perder a vida com 24 anos! 

O primeiro "Post" ou portuguesmente escrevendo, a primeira Mensagem em "Quanto tempo tem o tempo?"...
"O TEMPO SÓ FALTA NO FIM". É o título de um livro...
Apenas mais um entre tantos outros, com a particularidade deste não estar incluído na rota comercial da especialidade.
Infelizmente, embora se deva contrariar, o diagnóstico para casos semelhantes costuma ser: livro que não é divulgado e lido, acaba esquecido.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

:(

"Não há nada como regressar a um lugar que está igual para descobrir o quanto nós mudámos"
                                                                                           Nelson Mandela

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Os insanáveis

O vice presidente da Comissão Europeia, Olli Rehn, vem do país do frio; tal como o Pai Natal (dizem). Mas entre um e outro, acho a figura do segundo mais simpática e menos inofensiva...
Talvez por esse motivo, não seja de espantar que uns graus celsius negativos tenham congelado de certo modo a mioleira do senhor Olli. Um insano portanto, a juntar a outros que tais.
Com que então, já não vivemos acima das nossas possibilidades?!... Pudera!
Eu não vivo. Simplesmente porque nunca vivi, nem acima nem abaixo das minhas possibilidades. Sempre vivi dentro das minhas possibilidades; coisa que estes Pançudos & Comp. nunca souberam fazer.
São, porém, os Pançudos & Comp. que agora (e sempre) se acham no direito de fazer crer à plebe que a culpa desta crise é mais dela (nossa) do que deles (deles: especulação financeira e esferas da alta finança mundial e europeia).
Não há paciência. Não há, mesmo!

                                      (notícia retirada do portal sapo.pt - 3/12/2013)

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Os insaciáveis

Os insaciáveis querem sempre mais e mais... Com as ações de solidariedade, o Estado também arrecada uns bons milhões em IVA. É o chamado reino do "venha a nós"; para Eles, claro.
Que isto da boa fé e do humanismo daquela gente é tanta ou tão pouco que... mete mais raiva do que dó.

"Que interessante seria se o Estado fosse capaz de renunciar a este IVA..." - Eugénio Fonseca, Presidente da Cáritas Portuguesa.


"hypochrités"

A humanidade nunca conseguirá livrar-se dela mas nós podemos sempre livrarmo-nos deles - dos hipócritas-. Trata-se tão só de uma questão de Tempo.
BOA SEMANA.