sexta-feira, 31 de maio de 2013

Intrigante distância

«A distância é intrigante. 
Há quem fique distante ao nosso lado, e quem continue ao nosso lado mesmo distante»
                  (autor desconhecido)

E com este pensamento me despeço.
Bom fim-de-semana.

 (versão lounge de " Le coeur grenadine" - Laurent Voulzy)

segunda-feira, 27 de maio de 2013

O caos que aí vem


Este texto circula pela net, blogosfera, redes sociais, etc, e  mais não é do que uma justíssima chamada de atenção para a cruel realidade que espera alunos e professores já em Setembro. O verdadeiro caos...

O que prejudica os alunos não é o facto de não poderem realizar o exame nacional de português a 17 de Junho devido à greve geral de professores.
O Ministério da Educação logo se encarregará de agendar uma nova data. Nenhum aluno sairá prejudicado.

O que prejudica os alunos:
- é o aumento de alunos por turma,
- é o elevado número de alunos, níveis e turmas por professor,
- é a constituição de mega-agrupamentos,
- é o aumento do horário de trabalho dos professores (que já ultrapassa em muito as 35h.) ,
- é a limitação da oferta curricular,
- é a mobilidade forçada que afasta os professores das suas famílias,
- é a permanente ameaça de despedimento dos professores,
- é o corte no investimento na educação,
- é a criação de condições para a privatização do ensino.

Estes são factores que, contribuindo para a desmotivação dos professores e desmantelamento do ensino público, estão deveras a prejudicar os alunos.

É toda esta política de desgaste e destruição que prejudica os os alunos. É com isto que nos devemos todos preocupar. É por tudo isto que alunos e familiares devem juntar-se na luta por um ensino público de qualidade.(texto retirado da net)

Por: Miguel Cardoso

sábado, 25 de maio de 2013

Talvez uma publicação só para "cotas"

No tempo em que as discotecas não passavam músicas do estilo electro-batuque, tecno-batuque ou outras musicalidades batuqueiras derivadas do disco sound, a música era realmente outra. Era diferente.

Lembro-me destas, embora não fosse uma frequentadora assídua de discotecas, nem grande fã destas sonoridades (com excepção dos Earth Wind & Fire), registo a recordação das modas musicais (dançáveis) na altura.
Decorria a década de 80...
E sendo assim, esta passa a ser uma publicação de fim-de-semana só para "cotas", como eu!
É isto mesmo, meus caros. Nem só de crise e de artes circenses no mundo da política vive o Homem; neste caso, o Português.
Se não dispersarmos as ideias por outras áreas, estes tipos acabam por levar a melhor. E nós não queremos ficar mais deprimidos e desmotivados do que já estamos.
Bom fim-de-semana e boa manif!





quinta-feira, 23 de maio de 2013

Adieu Georges

A minha homenagem a este grande senhor e artista que morreu neste dia, aos 79 anos de idade.
Georges Moustaki, o céu, a existir, está por tua conta...
Não ouvia esta música há muito tempo mesmo, mas lembro-me de a cantalorar quando era criança.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

«ou o mundo muda ou se afunda» - Miguel Urbano Rodrigues

A entrevista data de 2008. Passaram-se cincos e nada mudou; a não ser para pior. 

Afinal, há gente que sabe tanto e que ninguém ousa ouvir! Porque afinal, a surdez por conveniência deve ser um mal crónico que afecta, infelizmente, o povo português desde sempre. 
Porque finalmente esta «gente que sabe tanto», sabe muito mais do que alguns analistas ou comentadores de fim-de-semana. Porém, dar aos verdadeiros sábios um tempinho de antena que seja, é quase uma miragem no meio de uma comunicação social tantas vezes omissa, manipulada e manipuladora.

Deixo-vos uma entrevista de 40 minutos, repletos de muita sapiência, muitas vivências e muitos conhecimentos sobre a actualidade política, social e económica daqui e d'além mar. 
O mundo virtual e, em especial, este insignificante espaço blogosférico, presta a devida homenagem ao jornalista, pensador e escritor  Miguel Urbano Rodrigues.

«Eu tenho esperança na humanidade... Mas acredito que, ou o mundo muda ou se afunda»
 

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Do verbo clicar, cliques, "claques", estaladas e bofetadas

Pensamentos "estrambólicos", quiçá , adequados aos tempos modernos. Pura parvoíce, direis vós com alguma razão.

Porém, convenhamos; o ser-se parvo ou fazer figura disso é uma característica inerente à condição de qualquer ser humano. Portanto... Adelante!

Há dias embrenhei-me nas "profundezas" deste pensamento: a importância (ou não) do click (acto de clicar) na vida de todos nós. 
Um clique pode fazer-se com ou sem botão do "rato". 
Pode ser simplesmente a leve pressão de um indicador num qualquer touchscreen (ecrã táctil)... 
No fundo, que importância tem ser click ou ser touch, se vai tudo dar ao mesmo? Se por trás de cada clique ou de cada toque estará sempre um dedo, uma pessoa, um pensamento ou whatever ?!
Há, porém, cliques e cliques. Há cliques bons, maus e uns assim-assim. 

Pudessemos nós dar umas quantas claques por todos os cliques menos bons que fizemos...
* na língua francesa, "claque" (nome feminino) designa um estalo, uma bofetada.

Antes de fazer o clique em Publicar, e sem direito a claque (como convém), deixo-vos a minha sugestão musical para a semana que agora começa.
Já não sei se este mundo é tão sensual como canta Kate Bush. Pelos menos, ela, a sua voz e a música são! Valha-nos isso.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

"C'est La Vie" - The Emerson, Lake & Palmer, 1970

Uma pausa!
Não me ocorre nada de mais acertado neste momento.
Os Emerson, Lake & Palmer tocavam assim em 1970, se não estou em erro.
Não subscrevo a versão conformista desta expressão, contudo, este "C'est La Vie" musicado é bom de se ouvir.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Narizes, beleza e não só - por Miguel Gonçalves Ferreira

Parte externa do sistema respiratório, é o orgão do olfacto e o responsável por uma certa ressonância atribuída à voz humana. Refiro-me, obviamente, ao nariz. 
Miguel Gonçalves Ferreira é otorrinolaringologista. 
Partilha a sua vida profissional com outros hobbies: fotografia, viagens e música.
Resolvi pois então "meter o nariz", partilhando com os amigos e leitores deste espaço, esta interessante entrevista conduzida pelo jornalista Fernando Alves que, entre outras temáticas, aborda a beleza que há em cada nariz, e não só!... 
                                                                                                           (ouvir aqui)

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Para motivar os professores - TSF

"Pensamento Cruzado" é um programa da rádio TSF que passa de segunda a sexta-feira e ao sábado à tarde num formato compacto.
Mésicles Helin - Psicólogo Clínico, Mestre em Neuropsicologia
desafia Vítor Cotovio (Médico Psiquiatra e Psicoterapeuta) e Margarida Cordo (Psicóloga Clínica) a uma breve reflexão sobre realidades e emoções do quotidiano [sic].
Começo por este tema: professores e motivação.
(clique no link para ouvir)
Para motivar os professores - TSF

sábado, 11 de maio de 2013

O enguiço

De volta à normalidade blogosférica, após uns problemas de ordem técnica com este servidor. 
O Blogger até foi atencioso ao informar-me do sucedido (denúncia de spam e de site potencialmente perigoso), pedindo posteriormente desculpa pelo incómodo.
Vale-me este meu "maldito" sentido de humor. Perigosa como eu sou e como é, aliás, todo o conteúdo deste espaço, acho que sim... Acho que devem fugir e denunciarem-me sempre que possível.
Resto de bom fim-de-semana!
   Smiley

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Saber viver é vender a alma ao diabo - Alexandre O' Neill

Saber viver é vender a alma ao diabo

Gosto dos que não sabem viver,
dos que se esquecem de comer a sopa
(Allez-vous bientôt manger votre soupe,
s... b... de marchand de nuages?»)
e embarcam na primeira nuvem
para um reino sem pressa e sem dever.

Gosto dos que sonham enquanto o leite sobe,
transborda e escorre, já rio no chão,
e gosto de quem lhes segue o sonho
e lhes margina o rio com árvores de papel.

Gosto de Ofélia ao sabor da corrente.
Contigo é que me entendo,
piquena que te matas por amor
a cada novo e infeliz amor
e um dia morres mesmo
em «grande parva, que ele há tanto homem!»

(Dá Veloso-o-Frecheiro um grande grito?..)

Gosto do Napoleão-dos-Manicómios,
da Julieta-das-Trapeiras,
do Tenório-dos-Bairros
que passa fomeca mas não perde proa e parlapié...

Passarinheiros, também gosto de vocês!
Será isso viver, vender canários
que mais parecem sabonetes de limão,
vender fuliginosos passarocos implumes?

Não é viver.
É arte, lazeira, briol, poesia pura!

Não faço (quem é parvo?) a apologia do mendigo;
não me bandeio (que eu já vi esse filme...)
com gerações perdidas.

Mas senta aqui, mendigo:
vamos fazer um esparguete dos teus atacadores
e comê-lo como as pessoas educadas,
que não levantam o esparguete acima da cabeça
nem o chupam como você, seu irrecuperável!

E tu, derradeira geração perdida,
confia-me os teus sonhos de pureza
e cai de borco, que eu chamo-te ao meio-dia...

Por que não põem cifrões em vez de cruzes
nos túmulos desses rapazes desembarcados p'ra
                                                      [morrer?

Gosto deles assim, tão sem futuro,
enquanto se anunciam boas perspectivas
para o franco frrrrançais
e os politichiens si habiles, si rusés, 
evitam mesmo a tempo a cornada fatal!

Les portugueux...
   não pensam noutra coisa
   senão no arame, nos carcanhóis, na estilha,
   nos pintores, nas aflitas,
   no tojé, na grana, no tempero,
   nos marcolinos, nas fanfas, no balúrdio e
... sont toujours gueux,
mas gosto deles só porque não querem
apanhar as nozes...

Dize tu: - Já começou, porém, a racionalização do trabalho.
Direi eu: - Todavia o manguito será por muito tempo
o mais económico dos gestos!

                        *

Saber viver é vender a alma ao diabo,
a um diabo humanal, sem qualquer transcendência,
a um diabo que não espreita a alma, mas o furo,
a um satanazim que se dá por contente
de te levar a ti, de escarnecer de mim...

Alexandre O´Neill, Poesias Completas 1951/1981
Imprensa Nacional  Casa da Moeda

terça-feira, 7 de maio de 2013

Invisível

As pessoas decepcionantes - ou "decepcionadoras" - são como esta publicação. Estão... mas não estão. Estão onde devem estar; de preferência, e tanto quanto possível, "invisíveis".
Ficamos todos a ganhar com esta brancura imaculada.
Para todo o sempre. Assim seja!

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Retrato fidedigno


(Algures perto da Avenida Infante Dom Henrique, Lisboa, Portugal, Europa, século XXI, governo PSD/CDS...)

Três vezes mais pessoas a viverem nas ruas de Lisboa, sem contar com aquilo que está a acontecer noutras cidades e noutros locais territoriais nacionais de menor dimensão.
Ontem veio a público o caso do jovem de 24 anos a quem foi  retirada uma prótese no joelho, alegadamente porque os pais não tinham 152 euros para pagamento da conta do hospital. Aconteceu num hospital de Valência, em Espanha.

Por cá não há (ainda) casos públicos como aquele que ocorreu no país vizinho. Porém, conheço relatos fidedignos de familiares de idosos, que dão entrada nas urgências de hospitais, que são largados em macas, em corredores apinhados  durante três longos dias.
Sem soro, sem comida e sem descanso, só existem duas saídas prováveis: a morte ou a insanidade mental.
No caso em concreto, aconteceu mesmo a segunda.

sábado, 4 de maio de 2013

5 de Maio de 2002

Era uma vez uma mãe igual a todas as outras mães. 
Aquilo que a tornava diferente das outras mães era a cor dos seus olhos. 
Tinha olhos de cor "não sei" mas como ninguém conhecia semente cor, todos começaram a imaginar cores e mais cores, tons e mais tons para a definir... 
E a história continuaria se a mãe com olhos "não sei" de que cor estivesse disposta a isso. Não está!
Castanhos, azuis, verdes, cor de avelã, etc, o importante será sempre o olhar que cuida, que educa, que ama, que afaga, que acarinha, que ajuda, que aconselha, que valoriza, que se preocupa, e por aí adiante.

Feliz Dia da Mãe ao som da música de Christophe Maé.



sexta-feira, 3 de maio de 2013

Os 4,5 mil milhões de euros. Claro...

A custo, confesso, ouvi o discurso de Pedro Passos Coelho, hoje, às 20h00.
Porém, sem custo algum, acreditei na continuada e única preocupação do seu governo e dos restantes que mandam no desdito: lixar o cidadão, sacando-lhe mais uns "trocozitos" e não sei quê mais...
Claro que não me dei ao trabalho contar as vezes que o Primeiro-Ministro proferiu a palavra poupança. Foram tantas...!
Claro, muito menos precisei de contabilizar as vezes que ele referiu a palavra pobreza. Nem uma única vez!
Claro que um conjunto de medidas que perfaz 4,5 mil milhões de euros até 2015, é muito dinheiro. Sabe Deus à custa de quantas desgraças e tragédias pessoais e familiares. 
Mas claro, o que importa isso numa altura em que cortar despesa para poupar, é tão importante para o equilíbrio das contas públicas como o ar que respiramos?!
Está muito claro que esta saga intitulada "Programa de Assistência Financeira" e tudo quanto gira à sua volta, entra de forma forçada nos milhares de lares deste país à beira-mar plantado.
É um facto. Muitos portugueses ainda não se consciencializaram que são os personagens principais desta temível saga e que, mais cedo ou mais tarde, este filme de terror social acaba em exibição numa sala-de-estar perto de qualquer um de nós.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Café Filosófico - "O Trabalho"


No Dia Internacional do Trabalhador parece-me pertinente ouvir aquilo que o Professor Marcos Cavalcanti, no "Café Filosófico", tem a dizer acerca do mundo do Trabalho.
Vivemos na era do conhecimento, na era da produção de bens intangíveis. Que tipo de trabalhador é o trabalhador do século XXI? Que valores vão constituir o mundo do trabalho...? 
Respostas a estas perguntas e uma visão interessante sobre este tema para ver aqui.